Como o sono influencia na saúde do coração?

quarta-feira, 5/jul/2017

Como o sono influencia na saúde do coração

Ter boas noites de sono é essencial para manter uma qualidade de vida elevada, com disposição no dia a dia para executar as tarefas. Por sua vez, má qualidade e privação do sono podem refletir em problemas na saúde do coração, gerando doenças cardiocirculatórias, como a fibrilação atrial.

De acordo com uma pesquisa realizada no Reino Unido, na qual mais de 10 mil voluntários tiveram os dados acompanhados, o sono influencia diretamente na saúde cardíaca. No estudo, um grupo dormia cerca de sete horas por noite e foi comparado com um grupo no qual o período de sono foi reduzido para cinco horas por noite.

Com os dados coletados em aproximadamente 14 anos, constatou-se que ocorreram 70% mais mortes no grupo que dormia pouco, sendo as doenças cardiovasculares como as causas mais recorrentes de óbito.

Durante o sono é o período no qual descargas do sistema parassimpático atuam no miocárdio, relaxando os músculos cardíacos. É esse descanso que proporciona as energias necessárias para as atividades que serão exercidas no dia seguinte.

Portanto, ter boas noites de sono e avaliar a qualidade do sono é importante para alcançar melhor qualidade de vida, além de reduzir as chances de problemas cardíacos decorrentes de ausência ou redução das horas de sono.

Um agravante é a apneia no sono, distúrbio respiratório que afeta cerca de 40% dos adultos. A apneia, além de prejudicar a qualidade do sono, ainda está relacionada a uma maior incidência de problemas cardíacos.

Qual a relação entre apneia e fibrilação atrial?

A apneia do sono é mais recorrente em pessoas que roncam ou aquelas que apresentam sobrepeso ou obesidade. O distúrbio consiste em uma retração da língua durante o sono, de forma que ela obstrui a glote e a respiração.

Quando o cérebro identifica a apneia, que se assemelha como uma parada respiratória, ele gera uma respiração forçada, como um microdespertar, que impede que a apneia bloqueie a respiração por muito tempo. As pessoas acometidas pelo distúrbio podem ter dezenas ou centenas de pequenos despertares durante uma noite de sono, mas dificilmente a pessoa identifica a ocorrência.

Devido à recorrência do acordar durante a noite, a pessoa acometida pelo problema pode sofrer com algumas situações, como:

• Cansaço e sonolência durante o dia;
• Baixa concentração;
• Baixa produtividade e pouca disposição.

Além dessas situações indesejadas, a apneia no sono aumenta o risco de morte súbita o que inclui por doenças cardíacas.

Caso sofra de apneia, o indicado é procurar um médico para realizar os exames necessários e iniciar um tratamento que restabeleça a qualidade do sono, reduzindo riscos de ocorrências cardíacas decorrentes do distúrbio.

Entre os sintomas que podem instigar a procura por um médico estão os citados anteriormente, como cansaço, sensação de sonolência diurna e também sentir que as horas de sono atuais não têm sido suficientes.

A qualidade do sono é determinante no descanso do sistema cardíaco para que ele possa funcionar com mais estabilidade durante o dia. Pessoas que já têm predisposições aos problemas cardíacos, como fibrilação atrial, devem ficar ainda mais atentas com as horas de sono e procurar um cardiologista caso identifique alguma alteração.

Continue acompanhando o site do IFA!

Hospitais Credenciados