Como a oclusão de auriculeta é realizada?

terça-feira, 27/dez/2016

A fibrilação atrial é uma arritmia cardíaca caracterizada pela alteração do ritmo de batimentos dos átrios (câmaras superiores do coração). Essa modificação dos batimentos gera alterações no bombeamento sanguíneo, o que pode acarretar também na formação de coágulos sanguíneos.

Caso esses coágulos se formem e consigam se desprender e entrar na corrente sanguínea do paciente, pode gerar diversas obstruções em veias e vasos, podendo causar tromboses e, até mesmo, um acidente vascular cerebral (AVC).

Devido a isso, sempre que um paciente é diagnosticado com fibrilação atrial, além do tratamento ideal para o controle do ritmo cardíaco, os especialistas em arritmologia costumam prescrever medicamentos anticoagulantes orais.

O uso contínuo de medicação anticoagulante oral pode acarretar em complicações, como o risco de sangramentos esporádicos, por exemplo, além de exigir que o paciente realize coletas periódicas de amostras sanguíneas a fim de avaliar a capacidade de coagulação dele.

Quando essas complicações colocam em risco a vida dos pacientes, os especialistas costumam indicar a realização da oclusão de auriculeta.

O que é a oclusão de auriculeta?

A auriculeta é a região do coração na qual, quase que predominantemente, se inicia a formação dos coágulos sanguíneos causados pela fibrilação atrial. Devido a isso, os especialistas em arritmologia, em especial os que lidam diretamente com casos de fibrilação atrial, passaram a considerar o isolamento dessa área a fim de evitar a criação de coágulos e, consequentemente, diminuir a incidência de obstruções de vasos sanguíneos(em especial derrames) causados pela fibrilação atrial.

Esse procedimento de isolamento da auriculeta é chamado de oclusão de auriculeta ou exclusão da auriculeta, como é frequentemente referida e nomeada por alguns especialistas da área. E, como já mencionado anteriormente, representa uma alternativa ao uso de medicamentos anticoagulantes.

Como o procedimento de oclusão de auriculeta é feito?

A técnica de oclusão de auriculeta é rápida, e é feita por meio de cateterismo.

Durante o procedimento, o especialista em arritmologia implanta um dispositivo na desembocadura da auriculeta, fechando a passagem sanguínea do local e, consequentemente, impedindo que os possíveis ou já existentes coágulos entrem na corrente sanguínea do paciente.

Devido à técnica da oclusão de auriculeta ter princípios semelhantes aos dos tipos de ablação cardíaca, é possível associar os procedimentos em alguns casos. Para isso, o especialista deverá levar em considerações diversas condições, tais como as características anatômicas do paciente.

Mesmo que a oclusão de auriculeta seja, comprovadamente, muito eficaz para evitar a movimentação dos coágulos sanguíneos e, consequentemente, complicações nos pacientes acometidos pela fibrilação atrial, apenas um especialista capacitado poderá confirmar se o procedimento é ideal ao caso, assim como a possibilidade de associá-lo à ablação cardíaca.

Hospitais Credenciados