Como prevenir a fibrilação atrial?

sexta-feira, 19/ago/2016

Um dos tipos de arritmia cardíaca mais comumente diagnosticados por cardiologistas, a fibrilação atrial é caracterizada quando as câmaras superiores do coração, chamadas de átrios, apresentam um ritmo de contração descompassado, prejudicando no bombeamento sanguíneo para o restante do organismo da pessoa.

atividade fisica previne fibrilação atrial

Apesar de ser uma condição séria, a fibrilação atrial pode não apresentar sintomas, caracterizando a fibrilação atrial oculta. No entanto, quando apresenta indícios, os principais são:

  • Palpitações;
  • Dores no peito;
  • Fadiga crônica;
  • Fraqueza;
  • Desmaios;
  • Tonturas, entre outros.

Portanto, caso uma pessoa sinta qualquer um desses sintomas, é fundamental buscar a orientação de um profissional da área da saúde a fim de confirmar se trata-se de alguma arritmia. E, mesmo que não seja, é importante buscar o auxílio médico para receber recomendações de prevenção, caso haja alguma predisposição à fibrilação atrial.

Quais são as recomendações para a prevenção da fibrilação atrial?

Devido algumas das causas mais comuns da fibrilação atrial estarem correlacionadas a problemas cardíacos, tais como disfunções de válvulas cardíacas, histórico de ataque cardíaco e, até mesmo, de cirurgias do coração, quando o paciente se encaixa em alguma dessas características, os especialistas podem orientar algumas formas de prevenir o surgimento desse tipo de arritmia.

Algumas das recomendações de prevenção à fibrilação atrial são:

  • Manter uma dieta balanceada e saudável para o coração, de preferência evitando excesso de sódio e gorduras e incluindo mais frutas, vegetais e grãos integrais;
  • Praticar atividades físicas regularmente, mesmo que seja apenas um período curto de caminhada, academia, dança ou algum esporte de preferência do paciente;
  • Evitar fumar ou, caso já seja um fumante, reduzir a quantidade de tabaco consumida, de preferência até parar;
  • Manter um peso saudável;
  • Controlar a pressão arterial e os níveis de colesterol, tanto por meio de uma dieta especial como, muitas vezes, com o auxílio de medicamentos;
  • Limitar a quantidade de cafeína consumida;
  • Reduzir ou, se possível, parar de consumir bebidas alcoólicas;
  • Evitar situações de estresse ou raiva intensa.

De uma forma geral, os médicos orientam alterações nos hábitos alimentares e cuidados com a saúde do paciente, a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida e, consequentemente, evitar que a predisposição natural para o surgimento da fibrilação atrial se efetive.

Ficou Interessado?

Agende Uma Consulta

Hospitais Credenciados