Conheça os diferentes tipos de fibrilação atrial

sexta-feira, 10/jun/2016

Tipos diferentes de fibrilação atrial | Instituto de Fibrilação Atrial

Um quadro de fibrilação atrial é caracterizado quando as câmaras superiores do coração, chamadas de átrios pelos especialistas, apresentam contrações em ritmos irregulares e tremulam ou fibrilam, causando uma arritmia cardíaca.

Devido ao ritmo não ser sincronizado, na maioria das vezes mais rápido do que o normal, o sangue da pessoa acometida pela fibrilação atrial passa a ser bombeado de forma insuficiente para o organismo. Essa disfunção no bombeamento sanguíneo pode causar sensações, como:

  • Palpitações;
  • Fraqueza;
  • Vertigens;
  • Tontura;
  • Falta de ar;
  • Confusão;
  • Dores no peito;
  • Desmaios, entre outras.

Existem também casos assintomáticos em que a pessoa desconhece que possui a arritmia cardíaca até ser diagnosticada em exame físico ou eletrocardiograma. Além de ser uma condição cardíaca séria, a fibrilação atrial pode se apresentar de três formas diferentes. São elas:

Fibrilação atrial paroxística

Consiste em uma arritmia cardíaca momentânea que pode acometer o átrio da pessoa por poucos segundos ou até por dias seguidos, mas que somem por conta própria. É o caso que mais comumente passa despercebido pela pessoa e, na maioria das vezes, não permite descobrir a verdadeira causa.

Fibrilação atrial persistente

Diferentemente da paroxística, a fibrilação atrial persistente não desaparece por conta própria em pouco tempo. Como o próprio nome sugere, é caracterizada por uma arritmia cardíaca que persiste no paciente. Apesar de não curar sozinha, ela pode ser interrompida quando descoberta a causa e realizado o tratamento adequado para o caso, que pode ser desde a implantação de marca-passo, desfibriladores ou ablação para fibrilação atrial, dependendo da gravidade e das condições cardíacas de cada caso.

Fibrilação atrial permanente

É uma fibrilação atrial constante, presente em todos os momentos da vida da pessoa acometida por ela, independentemente de realizar esforços físicos ou atividades que, naturalmente, estimulam a aceleração dos batimentos cardíacos. Nesse caso, é necessário consultar médicos que lidam diretamente com fibrilação atrial para confirmar se há ou não a necessidade de realizar um tratamento para a arritmia cardíaca.

As verdadeiras causas das fibrilações atriais podem ser tanto anormalidades anatômicas do coração, geralmente presentes desde o nascimento, bem como danos na estrutura cardíaca ocasionados por infarto ou devido a problemas na válvula cardíaca. No entanto, existem casos de pessoas com coração aparentemente saudável que desenvolvem fibrilação atrial. Por isso, é sempre importante manter a saúde cardíaca em dia e consultar regularmente um especialista.

Ficou Interessado?

Agende Uma Consulta

Hospitais Credenciados