Entenda os diferentes tipos de arritmia cardíaca

quinta-feira, 17/nov/2016

As arritmias cardíacas são definidas por alterações no bombeamento sanguíneo pelo coração, causadas por frequência de batimentos cardíacos anormais, que podem ser mais lentos ou mais rápidos do que o considerado normal. Uma arritmia pode ter diversas causas, como, por exemplo, disfunções dos impulsos elétricos dos átrios, que geram a fibrilação atrial, o tipo mais comum de arritmia cardíaca.

Apesar de os sintomas serem, muitas vezes, semelhantes, devido gerar alterações no batimento cardíaco e, consequentemente, prejudicar o bombeamento do sangue para o restante do corpo, as arritmias cardíacas possuem características específicas que as diferenciam. Entenda melhor cada tipo.

Conheça os diferentes tipos de ablação cardíaca

Quais são os principais tipos de arritmia cardíaca?

É considerada uma arritmia cardíaca tanto quando o paciente apresenta batimentos cardíacos muito rápidos, situação conhecida como taquicardia pelos especialistas em arritmias, quanto nos casos em que ocorre a situação contrária, na qual o paciente passa a apresentar batimentos fracos e espaçados, definida como bradicardia.

Além disso, quando a pessoa é diagnosticada com irregularidades no ritmo cardíaco, também é possível definir o quadro como uma arritmia. Devido não apresentarem uma alteração no valor frequência cardíaca, esses casos não são caracterizados como taquicardia nem como bradicardia.

Levando essas condições em consideração, dependendo da causa ou do local acometido pela alteração do ritmo de batimento, a arritmia cardíaca pode ser:

  • Fibrilação atrial;
  • bloqueio atrioventricular;
  • Taquicardia ventricular;
  • Taquicardia paroxística (como a Síndrome de Wolff Parkinson White, por exemplo);
  • Fibrilação ventricular;
  • Doença do nó sinusal, e
  • Taquicardia atrial.
  • Extrassístoles

O que causa uma arritmia cardíaca?

Em condições normais, o coração é capaz de bombear o sangue pelo corpo sem precisar de um esforço maior do que o habitual. Para isso, ele possui um sistema de impulsos elétricos que garantem que as contrações que bombeiam o sangue ocorram em um ritmo regular. Qualquer alteração no ritmo dessas contrações pode desencadear uma arritmia cardíaca.

Existem algumas condições que favorecem para que ocorram mudanças no ritmo cardíaco, tais como:

  • Infarto;
  • Desgaste da estrutura do coração devido a ataques cardíacos anteriores;
  • Cardiomiopatia;
  • Obstrução de artérias (como ocorre na doença da artéria coronária);
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Hipertireoidismo;
  • Tabagismo;
  • Alcoolismo;
  • Consumo excessivo de cafeína;
  • Uso de drogas;
  • Estresse, entre outros.

Caso uma pessoa sinta palpitações ou pulsação fraca, é indicado buscar a orientação de um especialista em arritmia. Apenas um profissional poderá confirmar se o paciente realmente apresenta uma arritmia, bem como orientar ao tratamento ideal. A automedicação nunca é indicada, pois pode agravar o quadro clínico do paciente.

Ficou Interessado?

Agende Uma Consulta

Hospitais Credenciados