Existe uma estratégia de prevenção da fibrilação atrial?

quinta-feira, 10/nov/2016

A fibrilação atrial é classificada como uma arritmia cardíaca que afeta os átrios, que são as câmaras superiores do coração. É considerada a arritmia cardíaca mais frequentemente diagnosticada pelos especialistas e representa uma condição séria, que altera o bombeamento sanguíneo, podendo causar uma série de problemas.

Quais são os riscos da fibrilação atrial?

Devido causar o bombeamento irregular do sangue, a fibrilação atrial pode causar a formação de coágulos sanguíneos dentro dos átrios. Se esses coágulos conseguirem se desprender das câmaras cardíacas e cair na corrente sanguínea do paciente, ele corre o risco de sofrer obstruções de vasos sanguíneos ao longo de todo o corpo.

Uma obstrução é definida pelo bloqueio da passagem da corrente sanguínea em determinada parte do corpo e isso pode acarretar em graves consequências à saúde do paciente, como:

  • AVC – Acidente Vascular Cerebral, caso o coágulo obstrua a passagem sanguínea em vasos cerebrais;
  • Tromboses, quando há a obstrução de veias e vasos sanguíneos de órgãos e membros, principalmente os membros inferiores, que já possuem circulação mais comprometida.

Portanto, principalmente para pessoas que apresentam fatores de risco para a fibrilação atrial, é fundamental prevenir o surgimento dessa arritmia cardíaca.

Prevenção da fibrilação atrial?

Como prevenir a fibrilação atrial?

Assim como na maioria das condições que apresentam algum risco à saúde, para prevenir a fibrilação atrial os especialistas em arritmias cardíacas orientam que as pessoas, principalmente as predispostas, realizem algumas mudanças de hábitos a fim de melhorar a qualidade de vida e, consequentemente, prevenir a FA, além do acompanhamento rotineiro da saúde cardíaca.

As principais recomendações para prevenir a fibrilação atrial são:

  • Realizar refeições leves, saudáveis para o coração, que sejam livres de gorduras e de sódio em excesso;
  • Praticar atividades físicas. Uma simples caminhada de 40 minutos por dia, uma dança, um esporte que gosta de praticar, por exemplo;
  • Evitar o consumo de álcool. Entenda a relação do consumo de álcool com a fibrilação atrial;
  • Reduzir o tabagismo, se possível, até parar, pois o tabaco afeta a coagulação sanguínea, considerado um fator de alto risco para a evolução da fibrilação atrial;
  • Manter um peso adequado;
  • Consumir menos cafeína, pois a substância pode causar problemas cardiovasculares quando consumida em excesso;
  • Evitar situações de estresse, visto que situações estressantes aumentam a incidência de arritmias cardíacas, dentre elas a fibrilação atrial.

O que permite concluir que a melhor forma de prevenir a fibrilação atrial é cuidar da qualidade de vida, evitando condições crônicas, como alterações hormonais, por exemplo. Embora existam casos nos quais a arritmia cardíaca é causada por malformações presentes desde o desenvolvimento gestacional ou adquiridas após cirurgias no coração. Nesses casos, os especialistas costumam passar algumas orientações quanto ao prognóstico da arritmia cardíaca.

Ficou Interessado?

Agende Uma Consulta

Hospitais Credenciados