O que é Fibrilação Atrial

A fibrilação atrial é uma condição cardíaca extremamente séria que acomete cerca de 2,5% da população mundial e pode ser diagnosticada em pessoas aparentemente saudáveis, em qualquer faixa etária, sendo muito mais comum a partir dos 40 anos de idade e aumentando com passar dos anos.

Caracterizada por uma frequência cardíaca irregular, mais acelerada do que o normal, causada quando as câmaras superiores do coração (átrios) apresentam ritmo de contração irregular e dessincronizado.

Causas da fibrilação atrial

Na maioria das vezes, os pacientes diagnosticados com fibrilação apresentam arritmia cardíaca que pode ser causada por malformações presentes desde o nascimento, danos na estrutura do coração causados por infartos ou problemas em determinadas válvulas cardíacas.

No entanto, mesmo pessoas que não apresentam histórico de alteração no ritmo cardíaco ou malformações no órgão podem ser diagnosticadas com fibrilação atrial. Apesar de raros, existem casos de infecções virais que geram alteração no ritmo cardíaco.

O que é fibrilação atrial

Sintomas da fibrilação atrial

Quando a fibrilação atrial ocorre, o bombeamento de sangue fica comprometido, tornando-se insuficiente para o restante do corpo, o que pode levar a sintomas, como:

  • Palpitações;
  • Fadiga crônica;
  • Tonturas;
  • Dores na região do tórax;
  • Falta de ar;
  • Desmaios, entre outros.

Além disso, existem casos em que a fibrilação atrial é assintomática, sendo diagnosticada apenas por meio de exame físico ou após o diagnóstico de um eletrocardiograma. Mesmo nesses casos, é considerada uma arritmia cardíaca grave e o paciente deve buscar o auxílio de um especialista para receber a orientação de tratamento adequada para o caso, podendo ser tratado por meio do uso de medicamentos para controlar o ritmo cardíaco, remédios anticoagulantes, cardioversão elétrica, ablação e a utilização de marca-passos e desfibriladores.

Complicações da fibrilação atrial

Além de todos os desconfortos que a arritmia cardíaca causa no paciente, a fibrilação atrial, mesmo em casos assintomáticos, pode desencadear diversas outras complicações à saúde do paciente.

Devido à alteração do bombeamento do sangue no átrio, alguns coágulos sanguíneos podem se formar. Caso eles se desprendam e caiam na corrente sanguínea do paciente, podem acarretar problemas em várias partes do corpo, tais como:

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC), caso obstrua vasos do cérebro;
  • Embolia pulmonar, se impedir a passagem de sangue para os pulmões;
  • Lesões em outros locais, principalmente membros inferiores, braços e órgãos.

Apesar de ser uma taquicardia muito frequentemente diagnosticada em clínicas e consultórios de cardiologia, a conduta ideal para a fibrilação atrial deve levar em conta diversos outros aspectos da saúde do paciente e apenas um especialista poderá orientar o melhor tratamento para o caso.

Hospitais Credenciados