Prevenção da Fibrilação Atrial

Fibrilação atrial é o termo que classifica uma arritmia cardíaca que acomete as câmaras superioras do coração, os átrios. Uma condição séria, que prejudica os batimentos, torna o bombeamento sanguíneo irregular e pode causar uma série de problemas.

Embora possa se apresentar de maneira assintomática em algumas pessoas, sendo identificada apenas por meio de exames específicos, a fibrilação atrial, na maioria das vezes, causa diversos sintomas bastante específicos, tais como:

  • Tonturas;
  • Vertigens;
  • Falta de ar;
  • Dores na região do tórax;
  • Fadiga crônica;
  • Taquicardias;
  • Desmaios, entre outros.

No entanto, ao ser diagnosticado com fibrilação atrial, o paciente precisa ser orientado por um especialista ao tratamento ideal para o caso, principalmente a fim de evitar que a arritmia cardíaca evolua para problemas mais sérios.

Devido gerar o bombeamento inadequado dos átrios, a fibrilação atrial pode levar à formação de coágulos sanguíneos dentro dessas estruturas. Caso esses coágulos se desprendam das câmaras cardíacas e caiam na corrente sanguínea do paciente, há o risco de obstruções de veias e vasos sanguíneos.

O bloqueio da corrente sanguínea em diversas partes do corpo pode acarretar em graves condições à saúde, tais como:

  • AVC – Acidente Vascular Cerebral, caso o coágulo obstrua a passagem sanguínea em vasos cerebrais;
  • Embolias, quando há a obstrução de veias e vasos sanguíneos de órgãos e membros, principalmente inferiores, devido já possuírem a circulação mais comprometida.

Devido a isso, é fundamental prevenir o surgimento dessa arritmia cardíaca, principalmente em pessoas que já possuem predisposição a problemas cardíacos ou apresente outros fatores de risco para a fibrilação atrial.

Como prevenir a fibrilação atrial?

Assim como em qualquer condição de risco à saúde, para prevenir a fibrilação atrial os especialistas em arritmias cardíacas orientam, além do acompanhamento rotineiro da saúde cardíaca, algumas mudanças de hábitos que poderão melhorar a qualidade de vida dos pacientes e, consequentemente, prevenir a FA.

As principais recomendações dos médicos para prevenir o surgimento da fibrilação atrial, principalmente em pacientes que possuem histórico familiar da arritmia ou outros problemas cardíacos prévios são:

  • Realizar refeições leves, compostas por alimentos saudáveis ao coração, ou seja, livres de gorduras e sem sódio em excesso;
  • Pratique atividades físicas. Não precisa ser algo que cause incômodo ou que se torne obrigação, afinal o objetivo não é competir em nenhuma modalidade, mas sim melhorar o metabolismo. Uma simples caminhada de 40 minutos por dia, uma dança, um esporte que gosta de praticar. O importante é mandar o sedentarismo embora;
  • Evitar o consumo de álcool. Não precisa parar de beber drinks alcoólicos, mas o ideal é deixar para consumir bebidas alcoólicas apenas em momentos especiais, moderadamente;
  • Evite fumar, o tabaco prejudica a saúde de inúmeras formas, inclusive afetando a coagulação sanguínea, o que pode ser considerado um fator de alto risco para a evolução de uma fibrilação atrial em problemas mais graves;
  • Manter um peso adequado é fundamental para evitar diversos problemas de saúde, sejam eles hormonais ou cardíacos;
  • Consumir menos cafeína, pois a substância em excesso pode levar a problemas cardiovasculares;
  • Evitar situações de estresse. De acordo com pesquisas realizadas, pessoas que passam por situações estressantes constantemente apresentam maiores incidências de arritmias cardíacas, dentre elas a fibrilação atrial.

De uma maneira geral, a melhor forma de prevenir a fibrilação atrial é melhorar a qualidade de vida, evitando outras condições crônicas, como doenças cardíacas, alterações hormonais, entre outras. No entanto, existem casos em que a fibrilação atrial é causada por malformações congênitas ou adquiridas ao longo do desenvolvimento. Nesses casos, existem algumas orientações de como deve ser o prognóstico da arritmia cardíaca.

Hospitais Credenciados