Sintomas da Fibrilação Atrial

A fibrilação atrial é definida quando o ritmo de batimento das câmaras superiores do coração, chamadas de átrios, apresenta anormalidades, batendo mais aceleradamente do que o considerado como normal e de forma irregular. Essa arritmia dos átrios faz com que os impulsos elétricos e, consequentemente, o fluxo sanguíneo sejam transportados de maneira inadequada para as câmaras cardíacas inferiores (ventrículos) e para o restante do corpo.

Apesar de a fibrilação atrial poder ser causada tanto por malformações congênitas, anormalidades nas válvulas cardíacas causadas por problemas ou, até mesmo, viroses, as complicações dessa arritmia cardíaca são bastante sérias.

Devido apresentarem alteração no bombeamento sanguíneo, é possível que alguns coágulos se formem no interior dos átrios acometidos pela fibrilação. Caso esses coágulos se desloquem do átrio e entrem na corrente sanguínea, podem causar a obstrução de vasos ao longo de todo o corpo do paciente, ocasionando diversas complicações, tais como:

  • AVC: o acidente vascular cerebral é caracterizado quando algum vaso sanguíneo que irriga o cérebro apresenta obstrução. Portanto, é possível afirmar que os pacientes acometidos pela fibrilação atrial, independentemente do tipo, estão mais propensos a ter um AVC;
  • Embolia pulmonar: caso o coágulo obstrua algum vaso responsável por transportar sangue para os pulmões, podendo causar, também, a insuficiência respiratória;
  • Tromboses: quando o coágulo formado pela fibrilação atrial obstrui algum vaso de membros ou órgãos do paciente;
  • Insuficiência cardíaca: devido à fibrilação atrial sobrecarregar o coração, principalmente nos casos em que não são tomadas as precauções ou realizado o tratamento adequado, é possível que a condição evolua para uma insuficiência cardíaca, condição na qual o coração não consegue bombear sangue suficiente para o restante do corpo.

Por isso, é muito importante estar sempre atento aos indícios de uma arritmia cardíaca tão séria como a fibrilação atrial, para que a conduta ideal seja tomada de forma precoce, evitando as complicações mencionadas.

Quais são os principais sintomas da fibrilação atrial?

Em alguns casos a fibrilação atrial pode ser assintomática, ou seja, não apresentar nenhum indício de anormalidade com os batimentos das cavidades superiores do coração (átrios). Nesses casos, o problema é identificado apenas por meio de exames e avaliações mais específicas para monitorar e analisar o ritmo cardíaco do paciente.

No entanto, na maioria das vezes, a condição apresenta alguns indícios que podem auxiliar no diagnóstico ou, pelo menos, a buscar a orientação de um especialista. São eles:

  • Palpitações, semelhantes às sentidas ao realizar atividades físicas, como corridas, por exemplo;
  • Os batimentos das palpitações são irregulares;
  • Dores ou desconfortos no peito, mesmo que momentâneos;
  • Fraqueza;
  • Tonturas e vertigens;
  • Capacidade de se exercitar reduzida;
  • Fadiga constante;
  • Confusão na fala;
  • Desmaios, e
  • Falta de ar.

Esses sintomas podem perdurar, bem como serem passageiros, devido ao tipo de fibrilação atrial que pode ser paroxística (ocasional) até persistente.

Ao apresentar qualquer um dos sinais mencionados, é imprescindível que a pessoa busque um profissional, que irá solicitar a realização de avaliações cardíacas, exames complementares, entre outros, para que o paciente seja indicado ao tratamento ideal para a fibrilação atrial, caso a arritmia seja realmente confirmada.

Hospitais Credenciados