Quais são as principais causas da fibrilação atrial?

quarta-feira, 22/mar/2017

A fibrilação atrial é um tipo de arritmia que pode desencadear problemas mais graves quando não tratada. Ela surge por conta da ocorrência de impulsos elétricos irregulares nas cavidades superiores do coração. Como consequência ocorrem palpitações e o bombeio irregular do sangue para o resto do corpo.

No que refere-se as causas da fibrilação, elas são diversas. Muitas doenças que afetam o coração assim como a circulação sanguínea podem provocar essa afecção atrial.

Nesta ocasião, você descobrirá as principais causas que originam a fibrilação atrial. Também será informado acerca de métodos de prevenção. Preste atenção e cuide da sua saúde mediante a adoção de hábitos mais saudáveis.

Causas da fibrilação atrial

Quais são as principais causas da fibrilação atrial?

Conforme citado anteriormente, é possível detectar uma infinidade de doenças que ocasionam episódios de fibrilação atrial. A seguir, veja quais são essas afecções:

  • Hipertensão arterial;
  • Problemas nas válvulas cardíacas;
  • Doença no músculo cardíaco;
  • Doença coronária;
  • Cardiopatias congênitas;
  • Doenças da tireoide;
  • Câncer de pulmão;
  • Infecções pulmonares;
  • Embolia pulmonar;
  • Alcoolismo
  • Tabagismo;

Além destas causas relacionadas à doenças, também é comum que outros fatores desencadeiem este problema. Alguns destes são o consumo excessivo de cafeína, estresse físico, mental e emocional, realização de procedimentos cirúrgicos, ingestão de drogas ou certos medicamentos.

Embora o padecimento desses sintomas seja algo frequente nos pacientes que sofrem com a fibrilação atrial, há quem não tenha tido sintoma algum. Ou seja, é possível padecer dessa afecção de forma silenciosa e sem apresentar nenhuma causa aparente.

Inclusive, pode-se manifestar em pessoas que não contem com fatores de risco.

Formas de prevenção da fibrilação atrial

É possível prevenir o aparecimento da fibrilação atrial por meio da adoção de um estilo de vida mais saudável e tomando medidas para reduzir o risco de doenças cardíacas. Essas medidas incluem:

  • Abandonar o fumo

Mesmo que possa parecer impossível, uma pessoa com este vício pode abandoná-lo de maneira eficiente. Para isso é indispensável contar com o apoio de uma equipe multidisciplinar que proporcione os meios necessários para uma solução definitiva.

  • Manter uma dieta saudável

É importante diminuir e posteriormente acabar com o consumo de gorduras saturadas, gorduras trans e colesterol. Além disso, inclua frutas, cereais e verduras no plano alimentar.

  • Realize atividade física regularmente

Este é um dos pontos fundamentais para quem deseja evitar o aparecimento dessa afecção assim como de muitas outras. A prática de exercícios físicos não condiciona unicamente a musculatura esquelética, ela potencializa a ação dos músculos de órgãos tais como os do coração.

  • Mantenha o peso dentro do limite aceitável

Ter um peso considerado normal para o seu biótipo é uma das questões mais importantes. Sabe-se que a obesidade afeta a saúde de diversas formas, e uma delas conforme visto acima, é mediante a ocorrência da fibrilação.

Hospitais Credenciados