Tratamento para fibrilação atrial: ablação x medicamentos

sexta-feira, 24/jun/2016

Veja as diferenças de tratamento para fibrilação atrial | Instituto de Fibrilação Atrial

Habitualmente, as pessoas acometidas pela fibrilação atrial, ao descobrirem que sofrem dessa arritmia cardíaca por meio de exame físico ou eletrocardiograma, são orientadas a realizar tratamentos, pois trata-se de uma condição cardíaca séria. Entre as formas de tratamento para fibrilação atrial é possível destacar a medicamentosa e a ablação. Conheça agora as diferenças entre cada uma.

Tratamento medicamentoso para fibrilação atrial

É a maneira mais tradicional de tratamento da arritmia cardíaca causada pelo batimento irregular das câmaras superiores do coração, chamadas de átrio, e o consequente bombeamento insuficiente do sangue para o resto do corpo.

Durante o tratamento da fibrilação atrial por meio de medicamentos o especialista costuma orientar remédios de uso diário que possuem dois objetivos principais:

  • Desacelerar o batimento cardíaco irregular causado pela fibrilação, e
  • Impedir que a arritmia persista ou surja novamente após algum tempo.

É comum também que os especialistas em cardiologia que acompanham o caso prescrevam medicamentos voltados à anticoagulação sanguínea, visto que o batimento irregular pode ocasionar focos de coágulos no coração. Esses coágulos, caso se desprendam e consigam entrar na corrente sanguínea, podem causar diversos problemas de saúde à pessoa diagnosticada com fibrilação atrial, tais como:

  • AVC;
  • infarto agudo do miocárdio;
  • Tromboses agudas nos membros do paciente.

No entanto, muitas pessoas que sofrem de arritmia cardíaca e fazem uso prolongado dos medicamentos para controlá-la, podem apresentar condições adversas que causam outros tipos de problemas à saúde. Para esses casos, bem como quando há intolerância a componentes presentes nos medicamentos prescritos, é indicado o tratamento da fibrilação atrial por meio da ablação.

Tratamento para fibrilação atrial por ablação

Considerado como um tratamento definitivo para a arritmia cardíaca causada pela alteração nos átrios, a ablação consiste em uma técnica minimamente invasiva na qual o cardiologista faz uso de um cateter para atingir o foco da arritmia e eliminar os impulsos elétricos anormais do coração do paciente.

A ablação proporciona diversas vantagens ao paciente, como:

  • É um procedimento rápido, que leva cerca de 120 minutos;
  • O paciente pode ficar livre da necessidade de manter o tratamento medicamentoso, ou pelo menos diminui-lo.
  • Proporciona o controle total da fibrilação atrial em cerca de 80% dos casos.

Além disso, o tratamento da insuficiência cardíaca por meio da ablação evita o surgimento das condições adversas que o uso prolongado dos remédios prescritos no tratamento medicamento podem promover ao longo do tempo.

Apesar de a ablação ser considerada o tratamento que promove a cura da fibrilação atrial, podendo, inclusive, eliminar a dependência de medicamentos para o controle da arritmia cardíaca, apenas um especialista poderá confirmar qual é o tratamento ideal para cada caso. A avaliação médica é indispensável, independentemente do tipo de fibrilação atrial que acomete o paciente, e a automedicação nunca é indicada, pois pode causar outros problemas ou o agravamento da insuficiência cardíaca.

Ficou Interessado?

Agende Uma Consulta

Hospitais Credenciados