Tratamento da fibrilação atrial por ablação

sexta-feira, 20/maio/2016

Saiba mais sobre o tratamento da fibrilação atrial | Instituto de Fibrilação Atrial

Uma das formas de tratamento para fibrilação atrial é por meio da ablação. A fibrilação atrial é o tipo de arritmia cardíaca mais frequentemente diagnosticado pelos especialistas em cardiologia e é considerada uma condição médica grave em que, na maioria dos casos, o coração da pessoa passa a bater mais acelerado do que o considerado normal.

Ainda é comum que muitos pacientes acometidos por fibrilação atrial sejam orientados pelos médicos cardiologistas a um tratamento realizado por meio da administração de medicamentos que podem ter três objetivos diferentes:

  • Desacelerar a arritmia cardíaca;
  • Evitar que a frequência cardíaca irregular persista, e
  • Impedir a formação de coágulos no coração do paciente – remédios anticoagulantes.

Mas o arsenal medicamentoso utilizado para o tratamento da condição pode apresentar ao longo do tempo uma alta taxa de persistência da arritmia cardíaca e efeitos colaterais significantes. Por esses motivos a ablação começou a ganhar mais destaque.

O que é ablação?

A ablação é um procedimento minimamente invasivo, realizado em sala especializada para cateterismos, chamada de sala hemodinâmica, em que o médico insere um pequeno cateter nos vasos sanguíneos até atingir o coração do paciente, mais precisamente o átrio.

Ao alcançar o local que gera a arritmia no coração, são aplicadas técnicas que utilizam radiofrequência com o intuito de eliminar as células que causavam o problema e isolar o átrio acometido pela fibrilação atrial, evitando assim que os possíveis coágulos se desloquem do coração, causando possíveis obstruções arteriais, e que a arritmia existente interfira no bombeamento sanguíneo para o restante do organismo do paciente.

Com o avanço da medicina e da qualidade dos exames foi possível identificar ainda que a maioria das fibrilações atriais se originam no átrio esquerdo, principalmente nas origens das veias pulmonares. Por isso a maioria dos procedimentos de ablação visa alcançar o átrio esquerdo para realizar o procedimento.

Quais são as vantagens do tratamento da fibrilação atrial por ablação?

A ablação é um método de tratamento que pode proporcionar o controle total da arritmia cardíaca em média de 80% dos casos, diferentemente do que ocorre com pacientes que realizam o tratamento da fibrilação atrial por meio de medicamentos. Na ablação não é preciso fazer incisões ou suturas, pode ser empregada a anestesia geral ou o recurso de sedação e analgesia local, dependendo do que proporcionar mais conforto ao paciente. Isso significa que, por meio de técnicas minimamente invasivas, o paciente pode ficar livre da necessidade de continuar o tratamento medicamentoso.

O procedimento é rápido, com duração média de 90 minutos, e não exige um tempo de internação prolongado para a recuperação, sendo que a maioria dos pacientes que realizam a ablação recebem alta em, aproximadamente, 24 horas.

Apenas um especialista poderá avaliar o diagnóstico do paciente e orientá-lo ao tratamento da arritmia por meio da ablação ou à conduta ideal para o caso. É fundamental realizar uma avaliação com um cardiologista e nunca se automedicar.

Hospitais Credenciados